quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O Rei das Piranhas - Retrato de um Traidor.





Cuspi o veneno dos seus lábios
Em palavras ácidas, de sabor de fel
Pois minha ira são esses ecórios
Hipocrisia revestida de mel...

Suas  frases são miosótis negras
Decompostas pela sua mentirosa ação
Pétalas secas, haste contorcida, folhas crespas
No sinismo de seu coração!

Se outrora entreguei meus versos doces...
Em sonetos roguei o seu amor
Na constância do agora lhe entrego as dores
Do meu mundo transbordado em rancor...

Você em seu cavalo revestido de ilusão
Calvalga à esmo desnorteado
Em seus campos de prateada solidão
Busca apenas seus vales, sonhos e prados.

Na postura de rei de orgulho e felonia
Esconde sua alma insegura e calada
Tentando se erguer nessa estúpida nostalgia
Querendo enganar quem não é mais enganada...

Ó rei do triunfo, mentira e garlhadia!
Das mulheres só de corpo e sem alma
Vive nessa redoma de lixo e apatia
Esperando sua vida se esvair com calma!

Camilla da Silva Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário