domingo, 21 de julho de 2013

Noite do Adeus!

Meu mundo se dissolveu...


A mesma chuva que cai dos céus

É a mesma a cair dos olhos meus..

Tão calada... Calada.... Tudo se perdeu...



Ainda seguro na mão a Carta

O pedaço de papel amarelado

Segurando o peso do vazio, do nada

Das suas estranhas palavras, que está tudo Acabado!



O som do vento bate a janela

As cortinas volitam no ar.

Os sussuros da noite penetram na sentinela

Se juntando aos gemidos do meu chorar...



Deitada, cabelos espalhados na manta carmim

Fisionimia perdida, cansada de não dormir...

Ao lado da cama morrem as flores de jasmim...

Dentro de mim, sangrando em dor, as lembraças do seu partir





Canta a aurora do amanhecer

Junto ao orvalho cristalino das folhas

Aparecem os primeiros raios para aquecer

O coração gasto em dores...



Seu olhar me veste em cor...

Seus lábios me beijam em som

Seus abraços me cobrem e se aguarram ao meu coração

Onde estará a Melodia? Onde estará o meu amor?



Andando pelas ruas, de enconto a multidão...

No trabalho, sem alegria, lembro do Adeus

A gritar em meus ouvidos, a esmagar em decepção!



Camilla da Silva Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário