terça-feira, 16 de julho de 2013

Hino Nacional ao avesso...


 
 
 
 
Se do peito arfando, explode o grito
Sangrando, morre o estado de torpor
Sobre a haste do lábaro erguido
No uníssono de vozes do povo, o clamor

Se nossos campos são os que mais tem flores
Se há ainda vida, há esperanças e cores
Por que em cada canto os políticos só nos dão dissabores?
Não tardaremos a todos nos rebelar...

Se nessa terra há encanto juvenil
Que a tanto é chamada, de pátria amada, Brasil
Estagnados como podemos conquistar em braço forte?
Em nosso peito, sem liberdade... Desafiando-nos e vivendo a própria sorte!


Ó pátria Amada!
Idolatra!
Salve! Salve!

Brasil há muito tempo nesse sonho antigo
Desse lábaro que ostentas apagado
E o que me diz desse verde - louro dessa flâmula?
De um povo que é resquício de colônia e de passado?

Mas se nos erguermos mostraremos como somos fortes
Verás que o filho teu não foge a luta
Avante, sentirás que a vitória não tardará
Matarás essas torpes e hipócritas  condutas
E mostrarás que o Brasil não mais dormirá!

Mostraremos a Terra que nos é adorada
Entre outras Mil
És tu Brasil
Verdadeiramente amada!
Dos filhos da dor, do descaso, e da corrupção senil
Pátria Esculhambada
Brasil!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário