domingo, 21 de julho de 2013

Ciúmes...

O beijo suave reverbeou em grito


O abraço morreu em tapas

Por trás sombras apenas o gemido

De dor,sangue e farpas



Deixando-se abater em prostração

Os olhos perdidos, insones, sem dormir

Lágrimas lavam rosto e ecoam das batidas do coração

Ao amor que ameça se partir.



Dos sonhos amargos, a chama se apagou

Da imaginação ilusória, um estranho rancor

A surgir de medos , inseguranças que a vida emplantou

Emergindo dos sonetos de um falso amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário