segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Milagres







Se dos olhos nascem doloridas imagens
Se do pranto calado nasce o Grito
Se da bússula do engano cria miragens
Perde-se o ar, a voz e o tino...






Se dos beijos criou-se os tapas
Se das recordações tantas feridas
Se do tempo vazio a última etapa.
Perdeu-se a orientação para chegar na medida...






Se meu peito arfou de dor meu próprio engano
Se aos ventos dei o meu amor
Se a rosa dos sonhos matei como profano
Ao passado deixei as lembranças de todo o esplendor!






Se a Deus reservamos à todos os Milagres
Se pedimos aos passos o Louvor
Peço aos céus que me entregue as verdades
Os ensinamentos que o Senhor nos ensinou!






Quero o sorriso perdido
Silêncio ao escandoloso Grito
Ao peito respirar tranquilo...
Da rosa transformada em erva daninha
Girassóis a procura da luz no infinito






Creia em seus próprios milagres
Dê aos seus olhos outras imagens
Se do medo gerar dúvidas
Se dos caminhos surgir pedras
Lembra-se que Deus te ampara na Queda
A tudo na vida há uma hora certa
Dê a ti o seu rumo, sua bússola, sua esfera!





Poema escrito para todos aqueles que sofrem





Camilla da Silva Ribeiro

Um comentário: