quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Escrevo


Escrevo letras emergidas de sinfonia
Advindas de todas as alegrias
Os fatos vividos de cada ser
Surgindo das esperanças
De loucuras ou de lembranças
A história do amanhecer!

Escrevo para afastar o cálice da dor
Bebido em taça de ouro escarlate
Na rotina e nessa insana realidade
Mascarados em rostos e escondidos em futilidades
De um mundo carente de amor!

Escrevo para esquecer
Viajar além das estrelas
Encontrar em sonhos minha maior esfera
Desenhar em quadros límpos a aquarela
Formada por rimas, versos e prazer!

Escrevos para afastar todos os males
A agonia de minhas próprias saudades
Constituídas por todas as imagens
De minha história e verdades
Existentes na sela de meu ser!

Escrevo... Escrevo apenas por mim
Por minha egoísta necessidade
Para abandonar meus fantasmas à margem
Dando a vida a luz e a esperança o renascer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário