terça-feira, 10 de maio de 2011

A Espera


A Espera.

O dia sorriu com os raios quentes que abraçaram minha pele... Com o fundo de luz que brotava de seus olhos.
O pássaro cantou rodopiando o céu anil e espreguiçou-se nas árvores... É assim sua chegada numa orquestra musicada pelas suas gargalhadas.
A rosa vermelha brotou no verde do campo enfeitiçando com o cheiro leve, amando os lírios... Sua presença é uma fada que da varinha de condão conquistou meu coração, um espetáculo de beleza transformada na pureza de uma estranha forma de amar.

Suas conversas são lembranças que nem as desesperanças podem de minha vida apagar.
Nossos planos são sementes que no solo só faltam ser jogadas para que nasça uma flor... Só falta nos reencontrar.
Minha vida é uma miragem, um oásis enfeitiçado de ilusão...
Um passo em falso dado pelo destino e uma espera sem razão.

Camilla da Silva Ribeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário