segunda-feira, 18 de abril de 2011

Desejo



Segura em minha nuca
Faça-me Arder
Gemer
Querer
Como nunca

Não quero dormir
Mas te Sentir
Possuir
Tudo decidir
No jogo do ir e vir

Minha boca ao te beijar
Irá Tragar o ar
De tesão nossos corpos vão se molhar
As salivas de vinho e amor a se misturar.

Na morte do ato final
Vou dar teu trinfo, teu cansaço
Nos meus braços o último sinal
Dos requícios dos céus azuis após o temporal.

Camilla da Silva Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário