quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Solidão



Nesse quarto escuro, eu sinto a solidão
Compressando meu peito, tirando o ar
Pensamentos voando sem direção
Um vazio sentindo, apatico e singular.

Solidão
Um silêncio que grita dentro ser
As vozes que escuto quando vem o amanhecer
Frutos da nostalgia, miragens do que fui um dia.

Solidão
Presa estou nas redomas de vidro
Que nem com um grito pode quebrar
Tão cercada por aparencias
Tão adequadas e certas, para todos enganar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário