sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Mãe


Poema feito especialmente para a mulher da minha vida. Minha querida e amada mãe.

Você é uma de minhas únicas verdades, uma das poucas qualidades.
É o balsamo que alivia as minhas dores tão cravadas por punhais, por minhas mãos.

É a frase doce que brota de meus lábios porque de ti que encontrei a única frase que poderia ser dita “te amo”.
É uma pétala branca que desliza belamente pelo ar nas aragens refrescantes da manhã.
É o nascer do sol que se joga por trás dos montes abraçando com sua beleza e quentura as camadas frias e sólidas de meu ser, fazendo de sua chegada algo mais lindo de ser visto.

É o cantar que ressoa em meus ouvidos aliviando as chagas originárias de meus erros e de minhas discórdias.

É o sorriso bondoso que lava o meu rosto alterado.
É o rosto carinhoso que vislumbrei pela primeira vez quando abri os olhos para o mundo e para vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário