domingo, 30 de janeiro de 2011

Devo



Devo dizer que te amo
Mas do que na primeira vez
Devo dizer que te venero mais do que qualquer um.

Devo lhe dar rosas
Entregar meu pobre coração
Entregar juras infindáveis
Que ecoem no ar com a força de um trovão

Devo lhe reservar momentos agradáveis
Como nas ondulações do vento e do mar
Resistir as tentações de uma noite sem lua.
Resistir a este medo que torna meu amor incapaz.

Desenharia no meu mundo gaivotas que voam na imensidão
Sonhos, projetos que invadam o seu mundo.
Desenharia, se possível as linhas que chegam ao meu coração.
Se possível combinava com os pássaros a revoada que levasse ao encontro do seu intimo, pensamentos.
Se possível eternizaria seus olhos, seus lábios, sua voz... Diria apenas devo... Devo-te... Devo te amar para sempre.

Camilla da Silva Ribeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário