domingo, 19 de dezembro de 2010

Renúncia


Nego-te o amor, senhora.
Sufocando meus ímpetos. Matando auroras...
Saboreando o amargor de abalroas
E morrendo de dor nos passos de agora.

Gritando em desespero, despedidas aos ventos
Em triste lamento, deixando-te em desalentos...
Não por que hei de odiar... Adeus nossos Momentos!
Cruel hei que sou... É o dia de meu casamento.

Lágrimas se prendem em meu olhos a brilhar
E chamo-te o nome para quem quiser escutar
Em delírio e febre rasgo-me... Altero-me e vou para o altar.

Repito-me na voz que vem do coração
Destila-me do peito a chama da emoção!
Renuncio-te, minha vida...Minha paixão.

Camilla da Silva Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário