segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Poeta


Peguei o lápis para escrever;
Pensei num céu cheio de nuvens cujo em lágrimas se derramava, mas o meu céu era de estrelas que nem em gemidos se alterava.
Arredondei a letra e contei de fatos em que o desespero nos põe pensar na vida e o que dela esperar.
Não sei se choro ou se sorrio quando uma musica toma o ar e palavras surgem no decorrer de frases, de letras aglomeradas!


Peguei o lápis para escrever;
Pensei num mar turvo da meia-noite onde a neblina tomava os montes e escondia o farol, mas o meu mar era feito pelo horizonte, no despertar dos raios lúridos do sol.
Minha mão assim se treme e meu coração assim se exalta. Nenhuma palavra dita assim se revela para que dela eu construa um poema.

Camilla da Silva Ribeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário