terça-feira, 9 de novembro de 2010

Ilogica do Amor


Sei que seus atos escondem algo, um pensamento pueril, a lógica do inexato
Sei que seus lábios são convites reais, parciais, que guardam uma essência pura e singular...
Sei também que é tão fácil me perder em seu olhar, deslizar nos labirintos de suas íris, nos arabescos de suas pestanas...

É como perder uma parte de si mesma, encontrando um pedaço que faltava.
Saber o momento certo para desbravar os limites da sua alma, sem ao menos decifrar o mistério do amor
É levitar quando nada te restasse, quando o medo te abalasse, vontade de morrer de amor...
E como se não terminasse, os meus pensamentos se concentrassem nos nossos momentos de torpor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário